quarta-feira, 10 de julho de 2013

Relatório das assembleias sobre o tema: "Posicionamento dos alunos em relação as manifestações populares"

1ª Assembleia do Teatro Universitário/2013
Tema: Posicionamento dos alunos em relação as manifestações populares
Data: 25 de junho de 2013

Dirigente: Edson Silva
Fotógrafo: Pedro Vilaça
Responsável pela Ata: Babita Faria
Professores presentes: Helena Mauro, Rogério Lopes e Tarcísio Homem
Total de presentes: 50 pessoas

1- Júlia / 1º ano
            - Principais reivindicações populares: corrupção na Copa; gastos com transporte público; baixo investimento na área social; problemas com moradias por conta da Copa.
            - Grande quantidade de pessoas nas ruas.
            - Estopim: em São Paulo, por conta da redução da tarifa dos ônibus.
            - Movimento fortemente liderado por jovens, com ausência de lideranças definidas (Assembleia Horizontal).
            - COPAC: órgão dirigente das Assembleias.
            - Presença nas manifestações em BH de uma comissão de negociação em relação à passagem dos manifestantes dentro do perímetro da FIFA.
            - Violência policial. Em contrapartida, ocorre a resistência de alguns manifestantes.
            - Guarda Nacional encaminhada para BH. Problemática a cerca da presença da mesma dentro da área da UFMG.
            - Discussão sobre a redução de R$0,05 na passagem de ônibus em alguns municípios.
            - Número reduzido de alunos em sala de aula nas últimas semanas, por conta das manifestações.

2 – Rogério / professor
            - Questões discutidas na palestra assistida pelo professor na FALE: Não caminhar com a manifestação até o Mineirão (no caso, no dia 26/06); presença de extrema direita violenta, contrária à democracia; estratégias para driblar os indivíduos infiltrados; a importância de cada um em se informar a respeito do movimento, e do sistema político em si; papel da mídia: colocar os manifestantes como vândalos, ou heróis, mas levando a população ainda sim em massa para as ruas; déficit democrático: maior participação direta da população na política; afinidade dos palestrantes com o movimento; existência de ganhos concretos na área do esporte (FIFA) entre outros.
            - Na opinião do professor, o que ocorre é uma crise de representatividade: como construir uma democracia próxima aos desejos e reivindicações populares?

3 – Max / 3º ano
            - Posicionamento radical da polícia, utilizando-se do “medo” como estratégia para controlar a massa.
            - O não posicionamento de forma perigosa ou displicente, e sim de forma artística.
            - Existência de uma formação de Assembleia Artística, envolvendo todos os interessados em BH.
            - Sugestão de ação: balões com tinta colorida para marcar os passos dos manifestantes e o uso de cassetetes cênicos (de palhaço).

4 – Gabriel Coupe / 1º ano
            -Necessidade de ampliação das Assembléias Artísticas por toda BH.

5 – Tamiris / 1º ano
            - Confusão de ideologias e problemas com a polícia e entre os próprios manifestantes – direita atuante nesse aspecto.

6 – Nairalyce / 2º ano
            - Relato da última manifestação, sábado dia 22 de junho, anterior a reunião: aproximação pacífica dos manifestantes  nas proximidades do Mineirão.

7 -  Max / 3º ano
            - Rumores a respeito do posicionamento de policias no CDTN, local próximo ao bandejão da UFMG.

8 – Vinícius / 1º ano
            - Proposta de nos posicionarmos de forma artística entre a linha de frente e os policiais durante o confronto.

9 – Miguel / 1º ano
            - Manifestar-se e posicionar-se não apenas durante as manifestações nas ruas, produzir também em reuniões e assembleias.

 Gabriel Coupe / 1º ano
            - Não se deixar intimidar pela ação da polícia, nem dos grupos extremistas de direita.

11 – Filipe / 1º ano
            - Dialogar com o discurso da palavra “infiltrar/infiltrado”, em ações dentro e fora das manifestações.

12 – Tamiris / 1º ano
            - Levar as discussões do TU para a COPAC, com o objetivo de somar forças ao movimento.

13 – Sheila / 2 º ano
            - Necessidade de reconhecer nossos gestores diretos, assimilar cargos e funções dos políticos, para direcionamento das reivindicações.
14 – Max / 3º ano
            - O Conselho Universitário, composto por professores da UFMG, absolveu o reitor Campolina, alegando que o mesmo foi coagido a permitir o posicionamento de policiais dentro da instituição.
15 - Érica / 3 º ano
            - Realizar ou não uma ação em repúdio a atitude do reitor da UFMG.
16 – Rogério / professor
            - Informarmo-nos a respeito das manifestações, suas causas e o próprio processo político democrático em geral.

17 – Rikelle / 2º ano
            - Refletir sobre a atuação dos alunos do TU, interessados em propor algo artisticamente, em locais como praças, empresas, etc.

18 – Max / 3º ano
            - Montar uma intervenção por onde passa a marcha, para que o movimento artístico ganhe visibilidade.

19 – Bárbara Flor / 3º ano e Tarcísio / professor
- Pensar politicamente torna-se, neste momento, mais importante que pensar apenas artisticamente.

20 – Rogério /  professor
            - Estabelecer códigos teatrais, relações humanas que já ocorrem nas manifestações e representam algo substancialmente cênico.

21 – Edson / 2º ano
            - Importância de ser estabelecido um discurso dos alunos do TU frente ao movimento em geral.

22 – Gabriel Coupe / 1 º ano
            - Reivindicações importantes a serem discutidas: desmilitarização da polícia; gastos com a Copa, redução das tarifas de transporte público.

23 – Istéfani / 3º ano
            - Proposta de ação: realizar, de forma organizada e sistemática, a conscientização das informações sobre o movimento dentro das manifestações.

24 – Rogério / professor
            - Sugestão de reuniões periódicas do TU para discutir informações sobre as manifestações

25 – Júlia / 1º ano
            - Organizar uma comissão de intervenções.
            - Responsabilizar um aluno de cada turma, com o objetivo de escrever uma ata a respeito do que foi discutido.

26 – Miguel / 1º ano
            - Reunirmo-nos novamente antes de estabelecer “lideranças” dentro das turmas.

27 – Marcella / 2º ano
            - Colocar em pauta as reivindicações sobre cultura e o posicionamento dos alunos como estudantes de Teatro.

28 – Bárbara Flor / 3º ano
            - Tornarmo-nos atentos em relação a organização das intervenções.

29 – Filipe / 1º ano e Edson / 2º ano
            - Realização de um mural, como forma de conscientização para os que frequentam o prédio do TU, ou ainda um mural itinerante.

30 – Gláucia / 3º ano
            - Importância do grupo estar junto durante à marcha.
            - Tentar influenciar na decisão de não irmos em direção ao Mineirão (no dia 26/06).

       2ª Assembleia do Teatro Universitário/2013
Tema: Posicionamento dos alunos em relação as manifestações populares
Data: 01 de junho de 2013

Dirigente: Edson Silva
Fotógrafo: Pedro Vilaça
Responsável pela Ata: Babita Faria
Professores presentes: 0
Total de presentes: de 25 a 30 pessoas

1 – Edson / 2º ano
            - “Projeto de ação: “redes” sociais. “ Meu tempo é inteiramente meu.”
            - Disseminar informações a respeito das manifestações por meios “indiretos”: conversar em ônibus e locais públicos.

2 – Marcella / 2º ano
            - Estabelecer 30 minutos, a partir das 19 horas, todos os dias, como tempo de reunião dos alunos do Teatro Universitário a cerca do tema.
            - Dialogar com outros grupos, principalmente os ligados aos interesses culturais.

3 – Miguel / 1º ano
            - Dividir os grupos dentro dos alunos interessados, em tópicos específicos para a realização das ações.

4 – Mariana / 3º ano
            - Questionamento sobre a necessidade da ação imediata dos alunos, devido a proporção do movimento atualmente.

5 – Rikelle / 2º ano
            - Formação política e diálogos antes das ações são de importante relevância dentro do grupo.

6 – Júlia / 1º ano
            - Relato sobre as representações presentes na Câmara durante a ocupação da mesma.
            - Necessidade de ação imediata, porém ponderada. Urgência também de construção política de forma crítica.

7 – Diego / 2º ano e Rikelle / 2º ano
            - Repensar as ações e levar para as ruas como forma artística de ações sociais diretas.

8 – Nairalyce / 2º ano
            - Definir objetivos para as reuniões.

9 – Babita / 1º ano
            - Organização dos grupos em setores bem definidos, baseados nos interesses e formas da vontade de cada aluno em se manifestar, contribuindo da maneira que lhe é mais conveniente.

10 – Edson / 2º ano
            - Dividir dois grupos de discussão: o primeiro tomara decisões a médio e longo prazo, e um outro a curto prazo.
LISTA DAS COMISSÕES DOS ALUNOS DO TEATRO UNIVERSITÁRIO

Comissão de Ação (medidas à curto prazo)
Davi               Istéfani                      Nairalyce                  Vinícius             Rikelle
                                   Vítor                     Alex                         Rafael

Comissão de Articulação (médio e longo prazo)
Pará               Vítor               Edson                        Rafael                       Gabriela                    Miguel
Istéfani          Lucas E.        Diego             Rikelle           Babita                        Pedro V.                                                        Marcella        Vinícius


            OS GRUPOS DEVEM SE ORGANIZAR E APRESENTAR SUAS PROPOSTAS NO PRÓXIMO DIA 10 DE JUNHO, QUARTA – FEIRA, EM NOVA ASSEMBLÉIA QUE SERÁ CONVOCADA. AS INFORMAÇÕES SOBRE O HORÁRIO E LOCAL DA ASSEMBLÉIA SERÃO AVISADAS POSTERIORMENTE.